Início Notícias Brasil e AWS assinam “Declaração de Intenção Estratégica” para apoiar o crescimento...

Brasil e AWS assinam “Declaração de Intenção Estratégica” para apoiar o crescimento de longo prazo no setor espacial regional

A AEB tem relevante papel no contexto da América Latina, sendo responsável por uma ampla variedade de atividades espaciais relacionadas a transporte espacial, satélites, pesquisa e aplicações.

481
0
Divulgação


A Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Amazon Web Services (AWS) assinaram um Termo de Intenção Estratégica e Cooperação. A iniciativa, com a qual a Embaixada Brasileira em Washington também colaborou, é a primeira desse tipo para a AWS, na América Latina, e apoiará a inovação e o crescimento contínuo da indústria espacial do país.
A AEB tem relevante papel no contexto da América Latina, sendo responsável por uma ampla variedade de atividades espaciais relacionadas a transporte espacial, satélites, pesquisa e aplicações. A AEB tem apoiado o fortalecimento da infraestrutura brasileira de lançamento de foguetes, de produção e exploração de sistemas espaciais. Oferece, também, apoio a atividades educacionais e de pesquisa em ciências astronáuticas e correlatas. Além disso, a AEB é parceira bilateral da NASA em pesquisas ionosféricas e signatária dos Acordos Artemis para a exploração conjunta da Lua.
A cooperação entre a AEB e a AWS descreve três áreas específicas de colaboração projetadas para apoiar as metas da Agência para o desenvolvimento econômico e tecnológico de longo prazo. Essas iniciativas educacionais, econômicas e políticas beneficiarão o governo brasileiro, organizações espaciais comerciais brasileiras e startups focadas no espaço.
As iniciativas incluem:
1. A Colaboração Espacial Brasil/AWS para Economia e Desenvolvimento (B/ASCEnD). Por meio dessa iniciativa, a Agência Espacial Brasileira e a AWS trabalharão juntas para promover o crescimento da indústria espacial brasileira, estabelecendo programas nacionais de pesquisa e desenvolvimento espacial (P&D), fornecendo recursos de treinamento e impulsionando startups. Especificamente, a AWS oferecerá aos interessados acesso ao AWS Activate Program e ao AWS Activate Founders Program, ambos fornecendo créditos, treinamento técnico e suporte comercial às startups qualificadas. Esse esforço também oferece aos profissionais acesso a programas de treinamento e certificação da AWS.
A iniciativa também cria uma oportunidade para a AEB e a AWS identificarem iniciativas promissoras de tecnologia espacial que possam apoiar os objetivos de outras organizações governamentais. O objetivo por trás dessa colaboração é promover a inovação para futuras missões relacionadas à ciência, exploração espacial e segurança nacional.
2. O Programa de Patrocínio de Dados Abertos da AWS. Essa iniciativa visa incentivar a colaboração entre a Agência Espacial Brasileira e seus parceiros, criando um repositório centralizado de dados espaciais. Isso permitirá que as partes interessadas acessem e analisem facilmente dados espaciais, usando ferramentas e tecnologias em nuvem, em apoio a uma variedade de empreendimentos espaciais brasileiros.
3. Política, Estratégia e Apoio Regulatório para o Desenvolvimento Espacial. A Agência Espacial Brasileira e a AWS se envolverão em discussões sobre políticas, estratégias e medidas regulatórias nacionais, em apoio aos objetivos espaciais civis, comerciais e de segurança nacional do Brasil.
“O acordo entre a Agência Espacial Brasileira e a Amazon Web Services é iniciativa concreta em prol de maior integração do setor privado brasileiro e de nossa indústria aeroespacial com o ecossistema de inovação americano, o mais avançado do mundo na área espacial“, disse o embaixador do Brasil em Washington, Nestor Forster Jr. “A Embaixada seguirá empenhada no fortalecimento da cooperação espacial com os Estados Unidos, que produz resultados para o Brasil nos planos econômico e tecnológico”, acrescentou ele.
“O acordo com a AWS é um passo importante para fomentar nossa indústria espacial, no momento em que o Brasil visa inserir-se mais fortemente no mercado espacial, como, por exemplo, no segmento de acesso ao espaço, com o espaçoporto de Alcântara”, disse Carlos Augusto Teixeira de Moura, presidente da Agência Espacial Brasileira.
O CLA também é conhecido como a Janela Brasileira para o Espaço. Sua localização, na costa atlântica norte do Brasil, é considerada ideal para lançamentos de satélites e foguetes, por estar situado a apenas 2 graus ao sul do Equador. A velocidade de rotação mais rápida da Terra perto do Equador permite que as naves espaciais atinjam a velocidade necessária para entrar em órbita usando menos propelentes. A localização do CLA também é ótima graças à ausência de eventos climáticos extremos e baixa densidade de tráfego aéreo. O CLA é utilizado para atividades que incluem integração de naves espaciais, testes de carga útil final, lançamentos de foguetes, apoio logístico a missões, previsão meteorológica, rastreamento, comando e controle e telemetria.
Esta Declaração de Intenção Estratégica é o mais recente passo no compromisso de longo prazo da AWS com o Brasil e a América Latina, unindo os setores público e privado, por meio do poder dos serviços de computação em nuvem para promover a modernização de TI, inovação, desenvolvimento econômico, educação e criação de força de trabalho e emprego. Em 2020, a AWS anunciou um investimento de R$ 1 bilhão para expandir os data centers em São Paulo e fortalecer a infraestrutura na América do Sul. Naquele mesmo ano, o Brasil foi o primeiro país da América Latina e o segundo do Hemisfério Ocidental a oferecer o AWS EdStart, o programa de tecnologia educacional da AWS (EdTech) que ajuda empresas iniciantes de EdTech a criarem soluções de ensino e aprendizado na nuvem AWS.
“A AWS tem orgulho de apoiar a missão do Brasil de impulsionar a inovação e o crescimento na indústria espacial”, disse Jeff Kratz, gerente-geral para as regiões da América Latina, Canadá e Caribe e para o setor público mundial da AWS. “Este acordo fornece ferramentas, treinamento e educação que ajudarão a garantir que o Brasil continue a ser um líder espacial na América Latina para as próximas gerações”.

Artigo anteriorProduzida pela Localiza, minissérie sobre travessia oceânica de Tamara Klink estreia no Globoplay
Próximo artigoPodcast: Gastos com saúde mental, pets, manutenção de veículos e educação crescem em 2021, apontam dados de Itaú Unibanco e Rede
Editor Executivo do Portal CidadeMarketing.com.br > Mestre em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal de Sergipe. Possui MBA Executivo em Administração com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - Rio de Janeiro. Consultor, Palestrante e Pesquisador sobre Empreendedorismo, Marketing, Redes Sociais e Negócios Digitais. Professor, Palestrante TedxTalks e Campus Party. Twitter: @ThalesBrandao

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui