Início Livros Livro conta como a Falconi ajudou a Ambev a transformar a gestão...

Livro conta como a Falconi ajudou a Ambev a transformar a gestão de uma fábrica e a tornou uma referência mundial

“O Desafio do Impossível”, que será lançado em 12 de abril, conta como a Ambev, com consultoria da Falconi, reduziu seu turnover e transformou a cultura da empresa e a vida das pessoas da cia

238
0

Imagine a maior e mais complexa operação da Ambev no Brasil, com um baixíssimo índice de produtividade e com um turnover que a fazia perder muitos funcionários ano após ano, além de perdas financeiras consideráveis. E como reverter esses indicadores e transformar essa operação em referência em produtividade e engajamento para as outras unidades da companhia?

Esse foi o desafio proposto pela Ambev para a Falconi, diante da cervejaria de Campo Grande, no Rio. A Falconi é uma consultoria para geração de valor por meio de soluções em gente e gestão com tecnologia, e fez um grande diagnóstico e um planejamento de trabalho, que teve como pilar a gestão de pessoas e a mudança de cultura. Como resultado, a operação atingiu a meta de produtividade um ano antes do estimado e a superou nos anos seguintes, chegando a 87% em 2019. A meta de redução do turnover foi alcançada dois anos antes do previsto, e atualmente se encontra em 2,16%.

Essa história de transformação é contada no livro “O Desafio do Impossível”, de Neuza Chaves e Viviane Martins, executivas da Falconi, a maior consultoria em gestão da América Latina. A obra relata os detalhes da avaliação profunda da situação e das dificuldades no atendimento às necessidades humanas, da identificação dos problemas, dos motivos de saída dos empregados e da elaboração de planos de ação para os diversos pontos de melhoria daquela operação da Ambev. O livro publicado pela Editora Gente nos formatos impresso e ebook será lançado no dia 12 de abril, mas já está disponível na pré-venda.

Tudo começou quando a Falconi foi chamada pela Ambev, há dez anos, para avaliar a situação de baixa produtividade. Na época, a Ambev estava em expansão global e batia recordes de investimentos. No entanto, as fábricas chamavam a atenção por seguirem na contramão, com produtividade baixa, alto turnover, e estimativas de perda financeira. A unidade do Rio de Janeiro foi então indicada para o piloto, já que se a solução funcionasse ali, na maior e mais complexa operação da Ambev, funcionaria nas demais unidades. Ao lado do Prof. Vicente Falconi, fundador da consultoria, as duas autoras compunham a linha de frente do projeto que se tornaria um dos mais bem-sucedidos de suas carreiras.

Para Neuza Chaves, senior advisor associada à Falconi, o desafio do trabalho estava além dos indicadores ruins. “Começamos nosso trabalho com a Ambev pela unidade que tinha o maior número de problemas não só internamente – como no restaurante, no vestiário, no treinamento de funcionários, mas também nos arredores com violência. Embora sentissem orgulho de trabalhar na Ambev, esses problemas estavam impactando o senso de pertencimento e autoestima dos colaboradores”, recorda. Para ela, foi a transformação – não só estrutural, mas cultural – que tornou esse projeto tão bem-sucedido e grandioso. “Queremos mostrar neste livro que o fator humano é determinante para qualquer negócio”, conta.

Viviane Martins, CEO da Falconi, lembra que o estímulo para escrever o livro foi, além do marco de dez anos do projeto, a urgência do tema. “O livro é o retrato da importância das pessoas, da sustentabilidade do ambiente de trabalho, da cadeia de fornecedores e do entorno para todas as empresas e como trabalhá-las gera resultados mais consistentes e longínquos”, diz Viviane. Segundo ela, enquanto o diagnóstico e planejamento estavam em curso, algumas ações já entravam em execução e os aprendizados eram colhidos, uma vez que todas as necessidades precisavam ser atendidas. “Compartilhamos no livro nosso processo de trabalho, que já utilizava a hoje tão em voga metodologia ágil de gestão, tornando essa história ainda mais atual”, lembra.

A grande transformação

A unidade é uma das maiores e mais complexas do mundo, e na época concentrava os maiores problemas enfrentados pela empresa: muitos funcionários estavam insatisfeitos, o que fazia com que o turnover não parasse de subir. E se era para transformar a gestão em alguma unidade, que fosse numa das operações mais complexas, para que ninguém tivesse dúvida de que essa mudança poderia ser feita em qualquer outra unidade do mundo.

O diagnóstico feito pela Falconi analisou profundamente as necessidades humanas, não se limitando às pesquisas existentes de engajamento e clima. Foram realizados uma série de pesquisas adicionais, grupos focais, e entrevistas com a operação. A identificação das necessidades, reclamações e sugestões dos empregados permitiu que ações mais simples fossem implantadas rapidamente, como a mudança no cardápio do restaurante e o ajuste da escala de transporte, enquanto outras exigiam mais tempo e investimento. Mas o método de planejamento permitiu que todas fossem feitas: os vestiários e os refeitórios foram reconstruídos, a frota de transporte foi renovada, tornando o trajeto para o trabalho um momento de segurança e relaxamento.

Foram criados ainda espaços de entretenimento para serem usados após as refeições, fosse para uma soneca, leitura, ou para jogar videogame. O ambiente da fábrica passou a ter climatizadores para balancear a temperatura, o layout foi alterado para que os equipamentos de segurança e as ferramentas fossem dispostos de forma organizada, e máquinas levantavam e transportavam as caixas. Com o tempo, a unidade ganhou ainda um Espaço Saúde, com médicos, dentistas, fisioterapeutas e nutricionistas, além de serviços de manicure e de barbearia.

Os resultados foram a transformação de fábricas em cervejarias, que exaltam o orgulho daqueles que lá trabalham, melhoria em quase 50% da produtividade das fábricas em toda a cia, redução drástica do turnover (rotatividade de pessoal), atualmente em menos de 3%, e aumento do engajamento das pessoas, ano após ano desde o início desta nova forma de gerir pessoas. A cervejaria do Rio de Janeiro alcançou um sonho antigo, de atingir o primeiro lugar no Brasil e segundo no ranking mundial, de acordo com a avaliação da ABI.

“É lugar-comum dizer que os resultados são obtidos por meio das pessoas. O que não é obvio é como fazer isso e, mais ainda, como ensinar outros líderes a fazer o mesmo”, diz Roberto Couceiro, vice-presidente de Supply Middle Americas na AB InBev, que participou do projeto por cinco anos. “Ao relatar o trabalho realizado por meio de análises, conceitos e práticas reais, o livro é um manual de aprendizados de gestão, possível de ser aplicado em outras operações”, completa.

Live de lançamento

Para marcar o lançamento do livro ‘O desafio do impossível’, a Falconi promoverá em 12 de abril, segunda-feira, a partir das 19 horas, uma live com a participação de Jean Jereissati, CEO da Ambev, Professor Vicente Falconi, sócio-fundador e membro do Conselho de Administração da Falconi, e das autoras Neuza Chaves e Viviane Martins. O evento online será gratuito e transmitido ao vivo pelo Youtube da Falconi.

Serviço:

Live ‘O desafio do impossível’

Data: 12 de abril de 2021

Hora: 19h às 20h30

Plataforma: Youtube da Falconi (www.youtube.com.br/falconioficial)

Evento livre e gratuito

Livro ‘O Desafio do Impossível’

A história de como a Ambev e a Falconi revolucionaram uma das maiores cervejarias do mundo

Autoras: Neuza Chaves e Viviane Martins

Páginas: 192

Preço de capa: R$ 49,90

Lançamento: 12 de abril de 2021

Gênero: Negócios/Gestão

Disponível em: https://www.livrariavanguarda.com.br/produto/desafio-do-impossivel-o-182680

Sobre as autoras: porta-vozes dessa experiência construídas a muitas mãos

Neuza Chaves – Mestre em Administração Profissional e Senior Advisor associada à Falconi, consultoria especializada em Pessoas e Gestão, organização na qual também atua como membro do Comitê de Gente. Possui MBA Executivo em Gestão Empresarial e é também Sócia-Diretora da Ad3 Desenvolvimento Humano. Neuza também atua como palestrante, professora, Master Coach e mentora de executivos de grandes corporações, além de conselheira voluntária em organizações do setor de educação. Autora dos livros Soluções em equipe (INDG, 2000), Caderno de campo das equipes de melhoria (INDG, 2003), Esculpindo líderes de equipes (INDG, 2013), Meritocracia (Falconi Editora, 2017) e Equipes de melhoria contínua (Falconi Editora, 2019) e coautora de Da graduação para o mercado de trabalho (Estácio, 2014) e Gestão para resultados na educação (Falconi Editora, 2016).

Redes Sociais: @neuzachaves / @neuzachaves

Viviane Martins – CEO da Falconi, consultoria especializada em Pessoas e Gestão com Tecnologia. Na Falconi desde 2000, atuou em diversos segmentos, como alimentos e bebidas, siderurgia e mineração, Viviane já integrou projetos em oito países. Com mais de vinte anos de experiência, é mestre em Finanças pela Fundação Pedro Leopoldo e doutora em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Participou de programas de Educação Executiva na Escola Wharton da Universidade da Pensilvânia (UPenn), nos EUA, e é especialista em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral (FDC). Viviane também é considerada Liderança com ImPacto pela Rede Brasil do Pacto Global, programa que busca posicionar CEOs como mobilizadores de sustentabilidade dentro das organizações em que atuam, e representa o ODS 8, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que busca promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos.

Redes Sociais: @viomartins (Instagram) / @viviane-martins (LinkedIn)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui