Início Notícias Pesquisa de Mercado 85% dos navios de cruzeiro têm padrão de excelência, afirma Anvisa

85% dos navios de cruzeiro têm padrão de excelência, afirma Anvisa

Dados referentes à temporada 2017/2018 revelam que as embarcações atendem a praticamente todos os requisitos exigidos pela Anvisa.

80
0

O levantamento anual da Anvisa sobre inspeções em navios de cruzeiro revela que a maioria das embarcações avaliadas na temporada 2017/2018 teve nota máxima no atendimento aos critérios sanitários brasileiros. Do total de 34 navios que passaram pela inspeção, 29 (85,2%) foram classificados no mais alto padrão (A), considerado excelente pela Agência. Para se encaixar neste perfil, o navio deve atender a praticamente todos os requisitos exigidos pela instituição.

De acordo com o levantamento, outras três embarcações (8,8%) foram classificadas no padrão B, o que significa que estavam em nível satisfatório. Apenas duas embarcações foram enquadradas nos demais padrões — uma na faixa C (condições aceitáveis) e outra na D (condição sanitária insatisfatória, com exigências a cumprir imediatamente).

A Anvisa informa, ainda, que o total de embarcações (34) inspecionadas na temporada 2017/2018 corresponde a 92% do total dos navios de cruzeiro (37) que atracaram no país no período avaliado (setembro de 2017 a abril de 2018).

Programa

Os dados apresentados são do Programa Nacional de Navios de Cruzeiro da Anvisa, que, neste ano, completa dez anos de existência. O objetivo dessa ação, iniciada em 2008, é contribuir para melhorar a qualidade sanitária dos produtos e serviços oferecidos a bordo das embarcações, por meio da intensificação e do aprimoramento das rotinas de inspeção.

A proposta da Anvisa sempre foi monitorar a qualidade sanitária dos navios de forma padronizada, para produzir informações qualificadas que possam ser usadas, inclusive, pelo consumidor que adquire pacotes de viagem em cruzeiros.

Desde que foi iniciado, o programa atuou em dez temporadas, realizando quase 500 inspeções em 400 embarcações de 45 empresas, que transportaram um total de seis milhões de pessoas (passageiros e tripulantes).

Fiscalização

Todos os navios de cruzeiro que circulam na costa brasileira passam por inspeções sanitárias da Anvisa. Nessas inspeções, realizadas de surpresa, os fiscais verificam todos os controles da embarcação referentes à segurança sanitária dos alimentos preparados e da água para consumo humano ofertados a bordo.

Outras áreas e serviços de importância sanitária também são inspecionadas: águas recreacionais (piscinas, hidromassagens etc.), limpeza de cabines e ambientes, gerenciamento de resíduos sólidos, sistema de tratamento de efluentes, sistema de climatização e controle de vetores.

No Brasil, as fiscalizações sanitárias de navios de cruzeiro utilizam um mesmo roteiro de inspeção para todas as embarcações. Cada item inspecionado apresenta uma pontuação de risco sanitário. Dessa forma, com o somatório de cada item, é possível obter um índice de risco sanitário para cada embarcação.

Atualmente, as equipes de inspeção da Anvisa são formadas por até quatro profissionais, dependendo do tamanho da área a ser vistoriada. Cada profissional verifica uma área específica e, caso haja algum problema considerado crítico, o navio deve saná-lo o mais breve possível.

Saúde

Neste item, os inspetores checam a capacidade da equipe do navio de enfrentar os eventos de saúde que ocorrem durante a viagem, bem como aspectos relacionados ao hospital de bordo. Durante a temporada 2017/2018, 54% dos eventos de saúde notificados à Anvisa foram casos de diarreia, seguidos de síndrome gripal (32,7%). Também foram apontados casos de infarto, fraturas, pneumonia, faringites, entre outros, mas não relacionados a causas inerentes à viagem.

Além das inspeções, o programa adota o recebimento diário das informações da situação de saúde de cada embarcação, diretamente do hospital de bordo, ou seja, dados sobre o número de viajantes — passageiros ou tripulantes — acometidos por alguma doença.

Quando há um sinal de aumento de viajantes doentes que chame a atenção, os fiscais podem agir entrando em contato com o médico da embarcação e verificando como estão os viajantes, além de monitorar todos os doentes, antes mesmo de ir a bordo para verificar outros registros semelhantes.

Vale destacar que o Brasil segue padrões sanitários internacionais, mas, em alguns requisitos, as inspeções apresentam certas especificidades. É o caso do maior acompanhamento das medidas para controle de vetores adotadas pelos navios.

Mudança de metodologia

Os resultados do Programa Nacional de Navios de Cruzeiro foram apresentados a empresas do setor, durante um evento promovido pela Anvisa no Rio de Janeiro na terça-feira (30/10). Além dos dados sobre as ações de controle sanitário desenvolvidas nas embarcações na temporada 2017/2018, também foram apresentadas modificações do Guia Sanitário de Navios de Cruzeiro, trabalho realizado pelas equipes da Anvisa e do Ministério da Saúde. Na ocasião, as empresas conheceram a nova pontuação de risco que passará a ser adotada pela Agência para a avaliação das embarcações.

Confira a tabela com os resultados do Programa Nacional de Navios de Cruzeiro da Anvisa na temporada 2017/2018.

Veja também a apresentação dos resultados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here