Início Notícias Popó estreia em nova campanha da Uber contra a LGBTQIA+fobia

Popó estreia em nova campanha da Uber contra a LGBTQIA+fobia

Os conteúdos foram elaborados em parceria com a Todxs e destacam o papel da pessoa aliada

301
0


A Uber está lançando uma nova campanha educativa para combater a LGBTQIA+fobia com a participação do Popó, ex-lutador de boxe. Com vídeos educativos para motoristas parceiros e usuários, o objetivo da iniciativa é alertar para comportamentos discriminatórios que não são tolerados na plataforma da Uber, de acordo com o Código da Comunidade. Os vídeos serão enviados pelo próprio aplicativo da Uber e estarão disponíveis no Instagram da marca para que qualquer pessoa possa assistir, compartilhar e conhecer um pouco mais sobre as iniciativas da Uber para combater a discriminação.

 

Os conteúdos foram desenvolvidos em parceria com a TODXS, organização sem fins lucrativos especializada na promoção da inclusão de pessoas LGBTQIA+. Nos vídeos, Popó fala sobre sua luta pessoal contra a LGBTQIA+fobia e compartilha seu aprendizado como pai de um homem gay. O conteúdo mostra o papel e a importância de ser uma pessoa aliada e exemplifica comportamentos que não são apropriados tanto para motoristas parceiros quanto para usuários da plataforma.

“Neste ano escolhemos reforçar a importância dos aliados na construção de uma comunidade inclusiva e respeitosa. Como porta-voz, convidamos o Popó, que além de aliado, é um ícone em um esporte altamente estereotipado por códigos antigos.” afirma Luciana Ceccato, Diretora de Marketing da Uber no Brasil. “A gente se baseou em  dúvidas reais de motoristas parceiros e usuários da nossa plataforma para trazer respostas simples e didáticas, além de destacar que cada um de nós tem um papel importante e responsabilidade no combate à LGBTQIA+fobia. Como uma empresa que está tão presente no dia a dia das pessoas, é nossa missão usar nossa tecnologia para contribuir para que elas possam se mover livremente e sem medo”, completa ela.

Para Ana Beatriz Santos, Diretora Executiva da TODXS, “a construção de uma sociedade inclusiva é um processo coletivo”. Ela afirma que é preciso muitas pessoas aliadas e comprometidas com a causa LGBTQIA+ para que a transformação aconteça. “Por isso, a gente acredita que sensibilizar as pessoas com conteúdos educativos que se conectam com a realidade delas e mostram como elas podem ser aliadas é fundamental para que a gente consiga avançar”, completa ela.

Em maio, também em parceria com a TODXS, a empresa lançou o Guia do Aliado, que traz um conteúdo didático sobre como cada pessoa pode contribuir e apoiar a comunidade LGBTQIA+. O material foi lançado no Dia Internacional da Luta contra Homofobia, Transfobia e Bifobia para os mais de 22 milhões de usuários e 1 milhão de motoristas parceiros da Uber.

Além disso, quem abriu o aplicativo da Uber durante o mês de junho em todo País viu os trajetos coloridos com as cores do arco-íris, em homenagem ao mês do Orgulho LGBTQIA+. As chamadas rainbow routes são usadas pela Uber em todo o mundo como forma de dar visibilidade a essa pauta.

Dados e fatos sobre o apoio da Uber à causa LGBTQIA+:

  • A Uber tem um Programa de inclusão para pessoas transgênero dirigirem na plataforma. A Uber reconhece o nome social, sem a necessidade de completar o processo de retificação de nome e/ou gênero nos documentos.
  • A Uber é signatária do Fórum de Empresas e Direitos LGBT, aderindo aos 10 Compromissos para promover os Direitos LGBT. É parte também do grupo de empresas que aderiram aos Padrões de Conduta da ONU para Enfrentar a Discriminação Contra Pessoas LGBT no Ambiente de Trabalho.
  • Em 2019, a Uber produziu conteúdos em parceria com a Promundo tendo como tema central a violência contra a mulher. Vídeos, podcasts e textos foram elaborados tendo como base uma pesquisa e grupos focais realizados com motoristas parceiros nas cidades do Rio de Janeiro e Fortaleza. Ao final da campanha, 85 mil motoristas receberam o selo Viagem de Respeito, depois de ouvirem os seis episódios da série. Em 2020, uma nova série de podcasts abordou também LGBTQIA+fobia e racismo.
  • Durante o carnaval de 2020, a Uber lançou uma ampla campanha com o objetivo de sensibilizar sobre o Código de Conduta da empresa, atualizado para deixar ainda mais claro os comportamentos que não são aceitos dentro da plataforma e incentivar o respeito mútuo.
  • A Uber trabalhou em 2020 em parceria com advogadas e membras da organização deFEMde para revisar o processo de atendimento a denúncias de LGBTQIA+fobia e racismo da plataforma no Brasil. O objetivo é ter uma clara identificação dos casos e um melhor acolhimento do relato da vítima. O mesmo processo já havia sido feito em 2019 com foco em denúncias de assédio ou violência contra a mulher.
  • Em 2022, em parceria com o MeToo Brasil, a empresa ampliou o canal de suporte psicológico para casos de LGBTQIA+fobia e racismo. O serviço foi criado inicialmente para acolher vítimas de violência de gênero em viagens pelo aplicativo da Uber e foi expandido para atender situações de discriminação. O objetivo é acolher a pessoa que reporta um incidente do tipo pelo aplicativo da Uber e auxiliá-la para que ela se sinta segura e apoiada ao enfrentar o trauma vivido. Após serem atendidas pelo time de suporte do app, as vítimas são encaminhadas ao suporte psicológico qualificado do MeToo Brasil.
  • A empresa também foi uma das empresas associadas da Marcha Trans de São Paulo 2022, evento que está na sua quinta edição.

Como reportar – Depois de cada viagem, usuários e motoristas são convidados a avaliar a experiência. Caso o usuário ou motorista precise reportar algum incidente, a Uber conta com uma equipe de suporte disponível 24/7, que analisa individualmente caso a caso. A denúncia pode ser feita pelo menu de ajuda do próprio app ou pelo site Uber.

Segurança das Mulheres

Desde 2018, a Uber tem um compromisso público para enfrentamento à violência contra a mulher no Brasil e vem investindo em materiais educativos sobre o tema. A empresa possui uma série de projetos elaborados em parceria com entidades que são referência no assunto, que inclui além de campanhas contra o assédio, pesquisas e levantamento de dados sobre o tema, doação de viagens para mulheres em situação de violência doméstica, entre outras ações. Além disso, a empresa está constantemente desenvolvendo ferramentas tecnológicas voltadas para segurança do app, como a detecção de mensagens inapropriadas, não revelação do número de telefone, bem como da origem e destino exato das viagens no histórico do motorista, compartilhamento de rota, gravação de áudio e o recurso U-Elas, que permite às parceiras receberem chamadas de viagem apenas de outras mulheres.

Em 2021, a empresa lançou uma campanha educativa de combate ao assédio, em parceria com o MeToo Brasil, organização dedicada ao acolhimento de sobreviventes de abuso sexual, e com a consultoria da Sandra Vale da Potência Diversa. Os vídeos utilizaram a popular linguagem do futebol e das discussões de “mesa-redonda” como forma de criar paralelos com situações em viagens e entregas pelo aplicativo da Uber, ressaltando as condutas inapropriadas.

Artigo anteriorHellmann’s expande seu portfólio com nova maionese
Próximo artigoDecolar e Visa lançam campanha que sorteará ingressos para a Copa do Mundo no Catar
Editor Executivo do Portal CidadeMarketing.com.br > Mestre em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal de Sergipe. Possui MBA Executivo em Administração com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - Rio de Janeiro. Consultor, Palestrante e Pesquisador sobre Empreendedorismo, Marketing, Redes Sociais e Negócios Digitais. Professor, Palestrante TedxTalks e Campus Party. Twitter: @ThalesBrandao

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui