Início Notícias Piracanjuba inicia a construção da maior fábrica de queijos do Brasil

Piracanjuba inicia a construção da maior fábrica de queijos do Brasil

Localizada em São Jorge D’Oeste, no Paraná, a unidade gerará 250 postos de trabalho

1093
0
Divulgação


No sudoeste paranaense, e a 450 quilômetros de Curitiba, fica o município de São Jorge D’Oeste, com população estimada de 9.085 pessoas. Nos próximos anos, a cidade sediará a maior fábrica de queijos do Brasil, construída pela Piracanjuba. No fim de 2020, mesmo em meio à pandemia, a marca anunciou o novo projeto, com área construída de 54.491,71m². A expectativa é que sejam abertos 250 postos de trabalho.

“A fábrica será a terceira da empresa destinada à produção de queijos e manteigas e terá capacidade de processamento de 1.370.000 litros de leite por dia. Na primeira etapa, com previsão de entrega no primeiro semestre de 2024, a unidade fabril produzirá mussarela e manteiga. Na segunda etapa, o local também sediará um complexo industrial para secagem de soro, que servirá de insumo para outras produções, e uma fábrica de leite longa vida (UHT)”, detalha o Superintendente da Piracanjuba, Cesar Helou.

A economia de São Jorge D’Oeste baseia-se em atividades agropecuárias e turismo, inclusive, na criação de gado de leite. “O sudoeste do Paraná tem o clima e um relevo muito propício para o leite. Para nós, também é muito importante a questão da água, já que uma indústria de alimentos não funciona sem esse recurso. Devido ao potencial da região, ela foi a melhor opção para a construção da nova fábrica de queijos. O local está sendo planejado de acordo com os critérios ambientais, de respeito ao meio ambiente e com tecnologia compatível para a produção sustentável”, acrescenta o Superintendente.

Já com as obras de terraplanagem em andamento, o projeto arquitetônico da nova fábrica foi apresentado à prefeita de São Jorge D’Oeste e à Ministra de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Nas oportunidades, elas conheceram os detalhes da nova fábrica, a tecnologia que será empregada na construção e o projeto arquitetônico. A Ministra parabenizou a Piracanjuba pela inciativa que gerará emprego e renda para a região, valorizando ainda mais a cadeia do leite e o agronegócio brasileiro.

A previsão é que até o segundo semestre de 2025, a fábrica esteja funcionando em sua totalidade.

 

Unidade Piracanjuba São Jorge D’Oeste (PR)

– Área construída: 54.491,71m²

– Capacidade de processamento de leite: 1.370.000 litros de leite por dia

– Empregos diretos: 250 colaboradores

– Produção de:

– Mussarela

– Manteiga

– Soro de leite em pó

– Concentrados proteicos de soro

– Leite UHT

– Leite em pó

– Composto lácteo

– Cronograma:

1ª Etapa: Mussarela e manteiga, primeiro semestre de 2024

2ª Etapa: Demais produtos, segundo semestre de 2025

Artigo anteriorEm parceria com Mercado Pago, Burger King anuncia volta da oferta de 2 sanduíches por R$15
Próximo artigoEstudo da Kantar sinaliza que a evolução da pandemia pode levar o consumo domiciliar para diferentes caminhos
Editor Executivo do Portal CidadeMarketing.com.br > Mestre em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal de Sergipe. Possui MBA Executivo em Administração com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - Rio de Janeiro. Consultor, Palestrante e Pesquisador sobre Empreendedorismo, Marketing, Redes Sociais e Negócios Digitais. Professor, Palestrante TedxTalks e Campus Party. Twitter: @ThalesBrandao

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui