Início Notícias CNN revela com exclusividade os bastidores das negociações entre Butantã e chineses...

CNN revela com exclusividade os bastidores das negociações entre Butantã e chineses pela Coronavac

Nova série especial revela os detalhes da descoberta da vacina brasileira sob o ponto de vista dos profissionais envolvidos no processo

218
0
Profissional do Instituto Butantã no trabalho de descoberta da Coronavac

No próximo domingo, dia 14/03, às 19h15, o programa “CNN Séries Originais”, comandado pelo jornalista Evaristo Costa, inicia a exibição da nova série: “1 Ano de Pandemia”.

O primeiro episódio, denominado ‘A Descoberta da Vacina’, mostra, após um ano de pandemia, como foi a corrida de cientistas de todos os cantos do mundo que abdicaram de suas vidas em busca de uma solução para a COVID-19.

A nova série da CNN revela, com exclusividade, como foi essa corrida pela vacina no Brasil e faz um mergulho na história da descoberta da Coronavac, sob o ponto de vista dos profissionais do Instituto Butantã diretamente envolvidos nesse processo.

O que todo mundo já sabe é que a Coronavac foi desenvolvida em parceria com um laboratório chinês e foi a primeira vacina contra a Covid-19 a ser aplicada no Brasil, mas o documentário produzido pela equipe de reportagens especiais da CNN vai além e mostra o que está por trás das negociações entre Butantã e os chineses, a rotina dos negociadores e os bastidores de como tudo aconteceu.

“A gente tinha muita reunião no domingo à noite, porque domingo à noite, às 20h30, já era manhã na Sinovac”, diz um dos funcionários do Butantã sobre o laboratório farmacêutico que desenvolveu a Coronavac.

A vacina foi desenvolvida por cientistas que desafiaram o desconhecido. “Doença nova, a gente não conhece. Nós estamos conhecendo a história natural da COVID-19”, completou o funcionário.

Outro profissional do centro de pesquisa, localizado no bairro do Butantã, na zona oeste da cidade de São Paulo, disse que foi um ano lutando contra as mentiras e a desinformação.  “Ainda bem que a gente conseguiu superar isso, inclusive nossos limites. São vários momentos aqui dentro que a gente tem essas emoções, ansiedades”, revelou emocionado.

Por trás dos números de eficiência da Coronavac, estão cientistas com dores e angústias reais. A equipe de reportagem da CNN Brasil conversou com um dos cientistas, que confidenciou um momento de muita emoção em uma das reuniões com os chineses. “Comecei a chorar na frente da câmera, e na minha hora de falar. Comecei a chorar, respiração ofegante, e desliguei, sai da reunião e desmanchei ali”, contou.

Os repórteres do “CNN Séries Originais” perguntaram para um dos chefes do Instituto Butantã sobre o sucesso do resultado da Coronavac. “A gente fez o trabalho que tínhamos que fazer. Não somos heróis, não estamos fazendo além da nossa obrigação, na posição em que estamos, na instituição em que estamos. Tentando fazer o melhor nessa circunstância, acho que ninguém pediu para estar nessa pandemia”, respondeu.

O programa “CNN Séries Originais” deste domingo (14) também exibe o quarto episódio da série “Roubos Históricos” e, em uma narrativa de tirar o fôlego, conta em detalhes o roubo ao Banco Central de Fortaleza e o quanto esse caso ‘inspirou’ outros. A equipe do canal mostra como a polícia conseguiu prender os criminosos que levaram 164 milhões de reais depois de um dia de ação – os bandidos entraram no cofre na sexta e saíram no sábado.

O documentário revela que as escavações duraram cerca de três meses e foram planejadas com seis meses de antecedência. Depois que os criminosos cavaram um túnel de 80 metros para chegar até o subsolo do local, chegando até lá com o auxílio de uma britadeira, romperam o chão do cofre. “Você olhando para dentro do buraco, você percebia que tinha mais ou menos uma camada de pelo menos um metro de concreto e ferro, que estava tudo cortado”, conta um policial.

“Eles tiraram três toneladas e meia de dinheiro em nota de 50”, diz um policial federal. “Nunca vi tanto dinheiro na minha vida junto”, diz outro. 

Os repórteres da CNN entrevistam o primeiro policial a entrar no túnel: “a minha primeira reação foi de entrar pelo buraco e ver o que é que tinha lá”, conta ele. 

A polícia não demorou para descobrir que os assaltantes tinham informações privilegiadas de dentro do banco. E sabiam onde o túnel deveria chegar: “quando a gente viu a localização da saída do buraco em relação à caixa forte, a gente logo suspeitou que alguém tinha passado qual seria o local ideal para ele sair”, declarou.

Na sequência do furto, uma série de acontecimentos desafiaram a polícia. O episódio mostra como ocorreram as fugas espetaculares, a mobilização da Polícia Rodoviária Federal, as execuções, quais foram os principais erros dos criminosos, quem são os integrantes da quadrilha, para onde o dinheiro foi levado e onde estão os criminosos atualmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui