Início Notícias MPSE ajuíza Ação para que Estado não autorize eventos até apresentar relatório...

MPSE ajuíza Ação para que Estado não autorize eventos até apresentar relatório técnico-científico sobre projeções da pandemia

O MP, por intermédio da Promotoria de Justiça dos Direitos à Saúde, diante do recebimento de reclamação sobre a previsão de diversas festas e shows de Réveillon.

380
0

O Ministério Público de Sergipe, por intermédio da Promotoria Plantonista e do Gabinete de Monitoramento da Saúde, ajuizou Ação Civil Pública para que o Estado de Sergipe se abstenha de autorizar quaisquer eventos, shows e similares, sem a devida análise técnico-científica sobre as projeções da pandemia.

O Estado deverá apresentar, até esta segunda-feira, 21, relatório técnico-científico sobre essas projeções que ofereceram fuste ao disposto no art. da Resolução nº 07/20 – Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (Ctcae). Além disso, deverá suspender quaisquer autorizações eventualmente já concedidas.

O MP, por intermédio da Promotoria de Justiça dos Direitos à Saúde, diante do recebimento de reclamação sobre a previsão de diversas festas e shows de veillon mesmo diante do contexto de aumento de casos de Covid-19 em Sergipe, instaurou Inquérito Civil nº 54.20.01.0408 com o propósito de averiguar as autorizações eventualmente concedidas pela Secretaria de Estado da Saúde para realização desses eventos.

“O momento é de instabilidade e imprevisibilidade sanitária por causa do aumento significativo dos casos de Covid-19 no Estado de Sergipe, o qual encontra-se nos últimos dias com a maior taxa de contágio do país, estimada em 1,87, ou seja, cada 100 pessoas infectadas, contamina 187. Nesse sentido, devem ser coibidas ações realizadas pelo poder público estadual que possibilitem a prática de atividades não essenciais, a exemplo de eventos festivos, shows e similares, inclusive destinados à celebração de Natal e Réveillon, com ou sem comercialização de ingressos, em ambientes públicos ou privados de uso comum, a exemplo de praias, praças, parques, clubes sociais, bares, restaurantes e similares, ainda que limitada a capacidade de 100 (cem) pessoas em ambientes fechados, e 150 (cento e cinquenta) em ambientes abertos, as quais promovem a aglomeração de pessoas, constituindo potencial foco de disseminação da Covid-19”, frisaram os Promotores de Justiça na ACP.

Clique abaixo e confira na íntegra

ACP Eventos

CidadeMarketing com informações do MPSE.

Artigo anteriorL’Oréal Paris lança filtro de Elseve em formato de game no Instagram
Próximo artigoQualitá tem seleção de carnes para incrementar as ceias de final de ano
Editor Executivo do Portal CidadeMarketing.com.br > Mestre em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal de Sergipe. Possui MBA Executivo em Administração com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - Rio de Janeiro. Consultor, Palestrante e Pesquisador sobre Empreendedorismo, Marketing, Redes Sociais e Negócios Digitais. Professor, Palestrante TedxTalks e Campus Party.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui