Início Notícias Empreendedor Ronald Levinsohn morre aos 84 anos

Empreendedor Ronald Levinsohn morre aos 84 anos

395
0
Divulgação

NOTA DE FALECIMENTO

Com imenso pesar, o Colinas Shopping e familiares comunicam a morte do empresário e filantropo Ronald Guimarães Levinsohn. Aos 84 anos, ele morreu no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (27), às 8h25, no Hospital Copa Star, por falência múltipla de órgãos.

O velório será realizado no Memorial do Carmo, no Caju, Rio de Janeiro, nesta terça-feira (28), a partir das 10h. A cremação será às 13h.

Nascido em 9 de outubro de 1935 na cidade de Rio Grande (RS), Levinsohn foi um dos principais empresários e investidores do mercado financeiro no Brasil, nos ramos imobiliário, educacional e do agronegócio.

Aos 17 anos, Levinsohn se mudou para os Estados Unidos, onde estudou Finanças. Após a graduação, já noivo de Henriqueta, com quem permaneceu casado até a morte, Ronald começou a investir na Bolsa de Valores de Nova York. 

Ao retornar ao Brasil, também manteve investimentos no mercado financeiro e imobiliário. Em 1975, associado a Rodman Rockfeller, Levinsohn chegou a São José dos Campos, quando planejou o empreendimento imobiliário Cidade Vista Verde, na zona leste da cidade. Depois, vieram outros dois condomínios, Jardim Colinas e Jardim do Golfe, e o Colinas Shopping – que foi o primeiro shopping da cidade planejado como um mall desde a concepção do projeto, antes da construção.

Levinsohn também foi presidente do Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro, instituição educacional e filantrópica fundada em 1969 e que durante décadas foi um exemplo de excelência em ensino superior. Com diversos cursos de graduação nas áreas de humanas, exatas e biológicas, além de pós-graduações lato sensu e stricto sensu, foi a terceira maior universidade privada do Rio de Janeiro e chegou a ter 35 mil alunos matriculados no mesmo ano.

No agronegócio, é reconhecido em Formosa do Rio Preto, no Oeste da Bahia, pela contribuição ao progresso da cidade, com investimentos em infraestrutura, como estradas, tratamento de esgoto e energia elétrica, e pelo trabalho à frente do Condomínio Cachoeira do Estrondo, um dos maiores produtores de soja, milho e algodão do país. Em 2014, Levinsohn produziu o livro “Formosa do Rio Preto – Ontem e Hoje”, distribuído aos moradores da cidade. 

Levinsohn estava internado há 11 dias, diagnosticado com fibrose pulmonar. Ele deixa esposa, Henriqueta, duas filhas, Cláudia e Priscilla, dois netos e três bisnetos. Neste momento, a família se une para rememorar a grandeza e as conquistas que compõem a história deste grande homem, filantropo e empresário, e prestar homenagens ao amado e querido pai, marido e avô que Ronald Levinsohn sempre foi e sempre será, agora, nas lembranças de uma vida plenamente vivida

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui