Início Notícias Departamento de Energia dos EUA aposta nos processadores AMD EPYC™ para supercomputador...

Departamento de Energia dos EUA aposta nos processadores AMD EPYC™ para supercomputador do Laboratório Nacional de Argonne

O novo supercomputador Polaris, do Laboratório Nacional de Argonne, otimizará atividades de Inteligência Artificial, engenharia e projetos científicos

161
0

A AMD (NASDAQ: AMD) anuncia que o Laboratório Nacional de Argonne (Argonne) do Departamento de Energia dos EUA (DOE) escolheu os processadores AMD EPYC™ para alimentar um novo supercomputador, chamado Polaris, que irá preparar pesquisadores para o futuro supercomputador exascale em Argonne, chamado Aurora. O Polaris foi construído pela Hewlett Packard Enterprise (HPE), usará processadores EPYC de 2ª Geração e, em seguida, será atualizado para processadores AMD EPYC de 3ª Geração, permitindo que cientistas e desenvolvedores testem e otimizem códigos de software e aplicativos para lidar com uma variedade de tarefas de IA, engenharia e projetos científicos.

“Os processadores de servidor AMD EPYC™ continuam sendo a escolha líder para a pesquisa moderna e HPC, oferecendo o desempenho e os recursos necessários para ajudar a resolver os problemas complexos que a computação pré-exascale e exascale resolverá”, disse Forrest Norrod, VP Sênior e Gerente geral de Datacenter e Datacenter e Embedded Solutions na AMD. “Estamos extremamente orgulhosos de apoiar o Laboratório Nacional de Argonne e suas pesquisas em áreas como tecnologias de baixo carbono, medicina, astronomia, energia solar e muito mais, à medida que nos aproximamos da era exascale.” 

O supercomputador Polaris usará os processadores AMD EPYC 7532 e EPYC 7543, e NVIDIA® A100 Tensor Core GPUs, para fornecer aproximadamente 44 petaflops de desempenho de precisão de pico duplo, que é 4x mais rápido do que os atuais servidores da Argonne.

Inicialmente, o Polaris será usado por equipes de pesquisa que participam de iniciativas como o Exascale Computing Project do DOE e o Early Science Program do ALCF. Comunidades de usuários dentro do Projeto de Computação Exascale do DOE também usarão Polaris para otimizar tarefas de engenharia para o futuro supercomputador exascale de Argonne, que inclui escalonamento de sistemas combinados de CPU e GPU e a integração de fluxos de trabalho combinando modelagem, simulação, IA e outros componentes de dados intensivos.

Polaris está programado para ser entregue e instalado em agosto de 2021 e entrará em uso no início de 2022. E mais amplamente, a comunidade HPC poderá acessar o sistema a partir da primavera de 2022 para preparar as cargas de trabalho da próxima geração de recursos de HPC do DOE.

Artigo anteriorSamsung apresenta novos smartphones dobráveis resistentes à água
Próximo artigoMarfrig traz de volta chef celebridade Salt Bae ao Brasil
Editor Executivo do Portal CidadeMarketing.com.br > Mestre em Comunicação e Sociedade pela Universidade Federal de Sergipe. Possui MBA Executivo em Administração com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - Rio de Janeiro. Consultor, Palestrante e Pesquisador sobre Empreendedorismo, Marketing, Redes Sociais e Negócios Digitais. Professor, Palestrante TedxTalks e Campus Party.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui