Início Notícias TV Brasil estreia série de animação paraense Brinquedonautas nesta segunda (18/5)

TV Brasil estreia série de animação paraense Brinquedonautas nesta segunda (18/5)

Produção independente inédita resgata brincadeiras da infância com foco na inclusão social

571
0
Divulgação

Brincadeiras tradicionais da cultura popular amazônica ganham as telinhas de todo o país na estreia do desenho animado Brinquedonautas, produção inédita que a TV Brasil apresenta a partir desta segunda (18), às 8h30.

O seriado paraense mostra aventuras de cinco crianças em histórias que estimulam a inclusão social. A obra vai ao ar de segunda a sexta, sempre em mesmo horário, com dois episódios em sequência, na faixa TV Brasil Animada.

Em 13 edições de sete minutos, a animação independente resgata diversas brincadeiras de rua praticadas pela garotada na Região Norte do país. A proposta é compartilhar as experiências desse universo lúdico da infância local para a juventude brasileira por meio da produção realizada pelo estúdio Iluminuras.

As tramas que destacam essa riqueza cultural acompanham um grupo de crianças que viaja a bordo de um fantástico zepelim que também é uma brinquedoteca flutuante. Por onde passam para conhecer brincadeiras, Malu, Dara, Zeca, Gui e Tuti aprendem divertidas maneiras de se divertir.

Valorização do folclore regional

A turminha vai desembarcar do zepelim em vários lugares da Amazônia para brincar e conhecer atividades típicas da região. Os personagens percorrem cidades, mas também fazem amizades com jovens que residem próximos aos rios, nas aldeias indígenas e até em comunidades quilombolas.

A animação destaca manifestações folclóricas como Marabaixo, Boi de Máscaras e Carnaval no Mangue. Destaque, ainda, para brincadeiras como Piões de Babaçu e ciranda, além daquelas que têm outros nomes ao redor do país como as petecas de Belém, mais conhecida como bolinha de gude.

O desenho encoraja as relações sociais entre os pequenos. Aborda, também, relação entre tecnologia e passatempos manuais. A criançada experimenta atividades ao ar livre na natureza brincando de barquinhos, aviões, pipa e até fantasias com folhas. Eles também se entretêm com jogos de tabuleiro.

Personagens promovem inclusão social

Além de incentivar a descoberta de brincadeiras curiosas e fomentar a prática de atividades ao ar livre, as histórias buscam mostrar com naturalidade a importância da inclusão social. A série tem personagens com necessidades especiais que encaram essas condições com autonomia em seu cotidiano.

As características que distinguem os protagonistas da trama fortalecem a interação entre eles. Essas diferenças se complementam e enriquecem o convívio das crianças. As limitações físicas ou intelectuais não impedem os jovens de viverem uma infância bastante animada.

Cadeirante, Zeca é um menino muito corajoso, aventureiro e cheio de ginga que contagia a todos com sua alegria e otimismo. Ele adora brincadeiras que envolvem esportes. Malu tem grande sensibilidade artística, fala libras e usa um aparelho auditivo. Ela se aborrece quando bagunçam seus desenhos.

Engraçado e atrapalhado, Gui tem uma prótese colorida em um dos braços. Ele é muito companheiro e sabe rir de si mesmo. Dara é uma menina muito inteligente e independente que adora aprender. Já Tuti é o mais tímido da turma. Inventivo e genial, ele está no espectro autista que não fica explícito na série.

Valorização do conteúdo independente nacional

Criada pela produtora paraense Iluminuras Estúdio de Animação, a série infantil tem direção de Andrei Miralha e Petronio Medeiros. A obra independente Brinquedonautas é um dos conteúdos audiovisuais selecionados pela linha de fomento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), através do Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual (Prodav/TVs Públicas).

A TV Brasil é um dos canais que mais exibe conteúdo independente nacional. Além de ser uma grande apoiadora da produção de atrações infantis no mercado audiovisual do país, a emissora estimula novos realizadores.

Em sua programação, o canal público reforça valores como a não violência e a tolerância às diferenças. Referência de conteúdo para a garotada na televisão aberta, a TV Brasil é uma das principais janelas para desenhos e animações nacionais.

Estímulo às produções infantis com acessibilidade

Com mais de 60 horas semanais de produção audiovisual para crianças e jovens, a emissora pública apresenta uma sessão diária com séries e desenhos, a TV Brasil Animada, no ar de segunda a sexta-feira, com mais de 10 horas de duração.

A faixa tem espaço aos fins de semana, nos sábados de 10h às 14h, e aos domingos, entre 11h e 13h. A programação para crianças e jovens oferecida pelo canal é organizada por faixa etária e destaca-se pela ausência de publicidade que incentive o consumismo.

De segunda a sexta, no início da manhã, entre 7h45 e 9h45, a TV Brasil exibe uma sessão especial que reúne produções para a garotada com todos os recursos de acessibilidade, como audiodescrição, legenda oculta, interpretação em Libras e dublagem.

Em seguida, a partir das 10h, a TV Brasil Animada leva ao ar quase nove horas consecutivas de conteúdo infantil e juvenil educativo até às 19h, com intervalo para o programa Sem Censura, às 14h, e para os boletins jornalísticos do Repórter Brasil.

Muitas animações de sucesso no país e no exterior estão em cartaz na grade da emissora pública como O Show da Luna!, Peixonauta e SOS Fada Manu. Entre as séries, as atrações são Detetives do Prédio Azul, Gaby Estrela e Valentins. Destaque, ainda, para Pablo, obra que aborda a rotina de um menino autista.

Ficha Técnica

Produção: Iluminuras Estúdio de Animação

Direção: Andrei Miralha e Petronio Medeiros

Produção Executiva: Sara Lages e Samara Alencar

Roteiro: Petronio Medeiros

Episódios: 13

Duração: 7 min.

Ano: 2019

Classificação indicativa: Livre

Serviço:

– TV Brasil Animada – segunda a sexta, das 7h30 às 9h45, das 10h às 19h, das 21h30 às 22h30; sábados, das 10h às 14h; domingos, das 11h às 15h.

– Brinquedonautas – segunda a sexta, às 8h30, na TV Brasil.

Série de entrevistas “No Álbum da Bola” estreia com Zico na TV Brasil nesta segunda (18/5)

Craque do Flamengo e da seleção abre a sequência do quadro diário do programa esportivo No Mundo da Bola

Ídolo da torcida do Flamengo, o artilheiro Zico está na estreia da exibição diária do especial “No Álbum da Bola”, série de entrevistas exclusivas realizadas pelo jornalista Sergio du Bocage na TV Brasil a partir desta segunda (18), às 19h30, na atração esportiva No Mundo da Bola.

Além do craque Zico, o quadro conta com os ex-jogadores Claudio Adão, Jorginho e Roberto Dinamite, o técnico Jair Pereira, o jornalista João Máximo e o árbitro aposentado Arnaldo Cezar Coelho. O programa No Mundo da Bola é exibido pela emissora pública de segunda a sexta, às 19h30, com 30 minutos de duração, e aos domingos, às 21h, com uma hora no ar.

Depois do sucesso da série “Os Setentões”, quadro em que o apresentador recebeu dez personalidades do futebol, entre ex-jogadores, técnicos e cronistas, a TV Brasil lança esse novo quadro com outros astros que fizeram história dentro e fora dos gramados que não tem mais de 70 anos necessariamente.

Curiosidades contadas pelo Galinho

Durante o descontraído papo com Sergio du Bocage, o rubro-negro fala sobre início de carreira, Flamengo, seleção brasileira e família. Arthur Antunes Coimbra, nome de batismo de Zico, também conta situações inusitadas da trajetória nos campos e revela fatos que poderiam mudar o rumo do camisa 10.

A sequência da conversa ganha as telinhas da emissora pública nesta terça (19), às 19h30. O ex-atacante Cláudio Adão é o segundo convidado para a sabatina organizada em dois trechos na quarta (20) e quinta-feira (21), no mesmo horário. A edição de sexta (22) traz os melhores momentos das entrevistas.

Zico diz que não gostava do apelido “Galinho de Quintino”, alcunha dada pelo narrador Waldir Amaral. O goleador afirma que preferia “Alegria da Gávea” criado pelo jornalista Celso Garcia. Conhecido como “Garoto do Placar, o locutor era vizinho da família Antunes. Torcedor do time, ele descobriu o talento do ex-meia ainda na infância, em Quintino, bairro da Zona Norte do Rio, e o levou para o Flamengo.

No decorrer da entrevista, o craque também recorda que abandonou o clube rubro-negro quando era juvenil por um mês. Ele conta que o fato aconteceu porque não tinha onde almoçar no horário entre os treinos e a escola.

Ao saber da situação, Jorge Helal, então presidente do Flamengo, tirou dinheiro do próprio bolso para bancar as refeições do jovem promissor. Zico explica que só tomou conhecimento do fato muito tempo depois.

O artilheiro do Maracanã recorda diversas histórias que viveu dentro das quatro linhas e fora delas. Ele conta como foi o dia em que transformou treino em jogo e garantiu vaga de titular no Flamengo, destaca as oportunidades em que enfrentou o irmão Edu, no América do Rio, e lamenta as mortes de Geraldo e Claudio Coutinho.

A vitoriosa geração rubro-negra dos anos 1980 também é tema da conversa. Zico fala da certeza que havia no sucesso. Ele lembra dos momentos que antecederam a decisão da Copa Libertadores, contra os chilenos do Cobreloa, e comemora a conquista do Mundial de Clubes, em que o Flamengo surpreendeu os ingleses do Liverpool em uma vitória incontestável por 3 a 0 no Japão em 1981.

Carreira de Zico no exterior e trajetória como técnico

A saída do Flamengo para jogar na Udinese, da Itália, é o tema central de outro trecho do bate-papo. O Galinho era ídolo na Gávea, mas acabou sendo negociado ao fim do Brasileirão de 1983. Ele fala do carinho pelos italianos e da volta ao Brasil, que incluiu uma lesão séria, numa partida contra o Bangu. Ressalta, ainda, o título da Copa União, de 1987.

Zico ainda faz algumas revelações curiosas. Ele celebra a passagem pelo Japão onde foi jogar depois de ter “pendurado as chuteiras” e o início da trajetória como treinador. Ele foi recebido muito bem, a ponto de ter assumido inclusive o comando técnico da seleção japonesa, e fez história no Kashima Antlers.

Além de ter se tornado referência no esporte e ajudado a desenvolver o futebol no país oriental, Zico ainda foi treinador em outras ligas. O veterano teve o trabalho reconhecido em várias temporadas no Fenerbahçe, da Turquia, e ainda passou por Rússia, Grécia, Iraque e até Índia. Agora, está de volta ao Japão.

Com fato de gol, ainda destaca os mais importantes dos gols de falta, lembra do dia em que o ponta-esquerda Júlio César passou à frente dele numa cobrança, e comenta os prêmios que ganhou de Melhor Jogador do Mundo, nos anos 1980.

As entrevistas exclusivas feitas por Sergio du Bocage estão disponíveis no site da atração esportiva na página da emissora pública em http://tvbrasil.ebc.com.br/nomundodabola e também no YouTube do canal em https://www.youtube.com/tvbrasil.

Tradicional debate esportivo da TV Brasil, o programa No Mundo da Bola está sendo exibido diariamente, de segunda a sexta, às 19h30, com 30 minutos de duração, e aos domingos, às 21h, com uma hora na telinha.

Serviço

No Mundo da Bola – segunda a sexta-feira, às 19h30, na TV Brasil

No Mundo da Bola – domingo, às 21h30, na TV Brasil

No Mundo da Bola – site da TV Brasil, em http://tvbrasil.ebc.com.br/nomundodabola

No Mundo da Bola – YouTube da TV Brasil, em https://www.youtube.com/tvbrasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui