Início Notícias Pesquisa de Mercado Brasil tem 424 milhões de dispositivos digitais em uso, revela a 31ª...

Brasil tem 424 milhões de dispositivos digitais em uso, revela a 31ª Pesquisa Anual do FGVcia

281
0
Foto: Thales Brandão

O Centro de Tecnologia de Informação Aplicada (FGVcia) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) revela que há 424 milhões de dispositivos digitais – computador, notebook, tablet e smartphone -, em uso no Brasil. Esse dado integra a 31ª Pesquisa Anual do FGVcia, estudo anual que apresenta um amplo retrato do mercado de Tecnologia de Informação. Nesta edição, contou com uma amostra de 2.622 médias e grandes empresas.

A pesquisa aponta que hoje vende-se quatro celulares por televisão, uma televisão por computador, tanto no Brasil, Estados Unidos e no mundo. “Através dos resultados divulgados, podemos observar que está cada vez mais comprovado o processo de Transformação Digital das empresas e da sociedade. A quantidade de computadores em uso no Brasil também nos traz um dimensionamento da importância da tecnologia”, revela Fernando Meirelles, coordenador do estudo. O professor da FGV EAESP ainda complementa que atualmente são 190 milhões de computadores – desktop, notebook e tablet -, em uso no país. “Esse volume corresponde a 9 computadores para cada 10 habitantes, 90% per capita”.

O volume de venda anual de computadores em 2019 foi de 12 milhões (-3%), essa é a mesma quantidade de 2016 e 2017, metade do pico de 2013. “O aumento do trabalho em home-office apresenta uma tendência no aumento no uso e venda de computadores”, revela Meirelles.

Em relação à quantidade de smartphone, a pesquisa aponta que permanece com mais de 1 por habitante em uso no Brasil. Ao todo, são 234 milhões de celulares inteligentes (smartphones). Ao adicionar notebooks e tablets, são 342 milhões de dispositivos portáteis em junho 2020, ou seja, 1,6 dispositivo portátil por habitante.

Segundo o professor, outra observação importante é a preocupação das empresas em tecnologia, uma vez que o gasto e investimento em TI cresceu para 8% da receita das empresas. “O custo anual de TI por usuário atingiu R$ 52 mil. Esses são os gastos e investimentos em TI em 2019, dividido pelo número de usuários da empresa, sem economia de escala, cresce com o tamanho da empresa”.

Na análise de Sistemas Integrados de Gestão (ERP), da TOTVS, SAP e Oracle detêm 77% do mercado, sendo a TOTVS na liderança no total e nas empresas menores, já nas grandes organizações, a SAP ocupa o topo do ranking. Na categoria de usuário final, a Microsoft Continua dominando, várias com 90% do uso.

Já a Inteligência Analítica (BI – Business Intelligence and Analytics) continua responsável por boa parte do lucro de vários fabricantes, entre eles: SAP, Oracle, TOTVS, Microsoft, Qlik e IBM, que, nesta ordem, são líderes desse segmento com 91% do mercado.

Confira os dados:

– Transformação digital será antecipada e acelerada em 2020: o smartphone domina usos, como bancos e mídias sociais. Uma ruptura já visível na migração para o uso de dispositivos digitais, sendo antecipada pelo isolamento e pandemia, ensino e trabalho a distância vão deixar marcas permanentes.

– O uso e os gastos e investimentos em TI nas empresas continuam crescendo e aumentando o seu grau de maturidade e a sua importância para os negócios, mesmo com a economia retraída.

– Os principais projetos de TI são: Inteligência Analítica (Analytics), “novo” ERP, Implementação e Integração. Nas grandes, aparece também: Governança de TI, Inteligência Artificial e IoT (Internet das Coisas). No início de 2020, o maior foco foi para o trabalho remoto e depois deverá ser a Transformação Digital.

O FGVcia é considerado um centro de referência na área e traz em suas pesquisas números inéditos e interessantes, retratando o cenário atual e as tendências desse ambiente, sendo uma valiosa contribuição para os meios empresariais e acadêmicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui