Início Notícias Pesquisa de Mercado Brasil atingiu 38 milhões de trabalhadores informais em fevereiro de 2020, aponta...

Brasil atingiu 38 milhões de trabalhadores informais em fevereiro de 2020, aponta IBGE

600
0
Empreendedor no Pelourinho-BA/Foto: Thales Brandão

taxa de desocupação (11,6%) no trimestre móvel encerrado em fevereiro de 2020 cresceu 0,5 ponto percentual em relação ao trimestre de setembro a novembro de 2019 (11,2%) e caiu 0,8 ponto percentual frente ao mesmo trimestre do ano anterior (12,4%).

Indicador/PeríodoDez-Jan-Fev 2020Set-Out-Nov 2019Dez-Jan-Fev 2019
Taxa de desocupação11,6%11,2%12,4%
Taxa de subutilização23,5%23,3%24,6%
Rendimento real habitualR$ 2.375R$ 2.373R$ 2.381
Variação do rendimento habitual em relação a:1,8% (crescimento)3,9% (crescimento)

população desocupada (12,3 milhões de pessoas) teve aumento de 4,0% (479 mil pessoas a mais) em relação ao trimestre móvel anterior e -5,4% (711 mil pessoas a menos) em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

população ocupada (93,7milhões) mostrou redução de 0,7% em relação ao trimestre anterior (706 mil pessoas a menos). Já em relação ao mesmo trimestre do ano interior, houve alta de 2,0% (mais 1,8 milhão de pessoas).

taxa de informalidade atingiu 40,6% da população ocupada, representando um contingente de 38,0 milhões de trabalhadores informais. No trimestre móvel anterior, essa taxa havia sido 41,1% e no mesmo trimestre do ano anterior, 40,7%.

A população fora da força de trabalho (65,9 milhões de pessoas) chegou ao seu maior nível na série histórica, iniciada em 2012, com alta de 1,3% (mais 815 mil pessoas) em relação ao trimestre móvel anterior e estabilidade em relação ao mesmo trimestre de 2019.

taxa composta de subutilização da força de trabalho (23,5%) ficou estável em relação ao trimestre móvel anterior (23,3%) e teve redução de -1,1 p.p. em relação ao mesmo trimestre móvel do ano anterior (24,6%).

população subutilizada (26,8 milhões de pessoas) ficou estável frente ao trimestre móvel anterior (26,6 milhões) e caiu -3,6% (menos 998 mil pessoas) frente ao mesmo trimestre de 2019.

população desalentada (4,7 milhões) ficou estatisticamente estável em ambas as comparações, assim como o percentual de desalentados em relação à população na força de trabalho ou desalentada (4,2%).

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos), estimado em 33,6 milhões, ficou estável frente ao trimestre móvel anterior e cresceu 2,0% (mais 646 mil pessoas) contra o mesmo trimestre de 2019.

O contingente de empregados sem carteira assinada no setor privado (11,6 milhões de pessoas) ficou estável em relação ao trimestre móvel anterior e cresceu 5,1% ou mais 569 mil pessoas) comparado ao mesmo trimestre de 2019.

O número de trabalhadores por conta própria chegou a 24,5 milhões de pessoas e ficou estável em relação ao trimestre móvel anterior. Já em relação ao mesmo período de 2019, houve alta de 3,2% (mais 766 mil pessoas).

rendimento médio real habitual (R$ 2.375) no trimestre móvel terminado em fevereiro cresceu nas duas comparações: 1,8% frente ao trimestre de setembro a novembro de 2019 e 3,9% relação ao mesmo trimestre de 2019.

massa de rendimento real habitual (R$ 217,6 bilhões) ficou estável frente ao trimestre anterior e cresceu 6,2% (ou mais R$ 12,7 bilhões) frente ao mesmo trimestre de 2019.

Quanto aos grupamentos de atividades, em relação ao trimestre móvel anterior, houve reduções em: Construção (-4,4%, ou menos 301 mil pessoas), Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (-2,3%, ou menos 375 mil pessoas) e Serviços domésticos (-2,4%, ou menos 156 mil pessoas). Não houve variações significativas nos demais.

Em relação ao mesmo trimestre móvel de 2019, foi observado aumento nos grupamentos: Indústria geral (5,0%, ou mais 578 mil pessoas) e Outros serviços (4,8%, ou mais 235 mil pessoas). Os demais grupamentos não apresentaram variações significativas.

nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) foi estimado em 54,5%, com redução de 0,6 ponto percentual frente ao trimestre móvel anterior (55,1%) e alta de 0,6 ponto percentual em relação a igual trimestre de 2019.

força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas), estimada em 106,1 milhões de pessoas, ficou estável em relação ao trimestre móvel anterior e cresceu 1,1% (mais 1,1 milhão de pessoas) frente ao mesmo trimestre de 2019. Já a força de trabalho potencial (8,0 milhões de pessoas) ficou estável nas duas comparações.

O número de subocupados por insuficiência de horas trabalhadas (6,5 milhões) recuou (-6,7%, ou menos 463 mil pessoas) frente ao trimestre móvel anterior e ficou estável em relação ao mesmo trimestre de 2019.

A categoria dos empregadores (4,4 milhões de pessoas) ficou estável frente ao trimestre móvel anterior e, também, em relação ao mesmo trimestre de 2019.

A categoria dos empregados no setor público (11,4 milhões de pessoas), que inclui servidores estatutários e militares, mostrou queda de 2,7% (menos 316 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e estabilidade na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui