Início Notícias Consumidor PROTESTE testa máquinas expressas de café

PROTESTE testa máquinas expressas de café

39
0

Para os aficionados por café, as máquinas expressas vêm a calhar em todos os momentos do dia. A PROTESTE, associação de consumidores, realizou um teste com cinco modelos de cafeteiras de preparo individual para mostrar qual se sobressai e ajudar o consumidor a evitar ciladas.

As cafeteiras expressas testadas foram: Nespresso C60, Nespresso C80 Expert, Nespresso Essenza Mini, Três Corações S26 POP, e Oster Primalat II Evolution. No geral, as máquinas se saem bem, mas o consumidor precisa prestar atenção na escolha do modelo ideal. Do contrário, pode pagar por um produto que demora para preparar o café, ou não o entrega na temperatura adequada.
Durante a avaliação de desempenho foram observados aspectos como cor, aroma, sabor e cremosidade do primeiro e do segundo café de cada uma das máquinas. Nenhuma apresentou problemas. Mesmo assim, no critério tempo de preparo nem todas se saíram bem.
A cafeteira da Oster leva 1 minuto e 35 segundos para fazer o primeiro café, já considerando o tempo de aquecimento da água. Nas outras máquinas, o consumidor espera entre 37 (Nespresso C80) e 54 (Três Corações) segundos para provar a bebida. Na segunda xícara os resultados das máquinas expressas são melhores: leva-se menos de 20 segundos até que o café fique pronto, em todos os casos.
A maioria das cafeteiras analisadas neste teste apresentaram bebidas em uma temperatura média que variava de 64ºC a 70ºC, o que é considerado ideal. Na avaliação de temperatura a Oster decepcionou novamente, visto que os expressos servidos atingiram a temperatura de 49ºC e 52ºC. O modelo da Oster foi considerada a mais versátil, principalmente por permitir usar, grãos, sachês e cápsulas na precação do café.
A boa notícia para o consumidor é que o uso das cafeteiras não pesa na conta de luz. A PROTESTE considerou a tarifa da concessionária Light, e chegou à conclusão de que ao consumir três cafés por dia o valor desembolsado será de R$ 2,27 no fim do mês. Isso de acordo com o modelo Oster, considerado o que mais gasta energia. No caso de um casal que deseja beber seis expressos por dia, três para cada, a despesa é de R$ 2,70 mensais.

A associação também observou, durante o teste, que os cabos de alimentação são curtos demais. A marca Três Corações foi a única com 87 cm. O ideal é um metro para oferecer ao usuário a liberdade de deixar o aparelho não tão próximo à tomada. O cabo da Oster é o mais curto, com 56 cm e a máquina é também a mais pesada, com 5,16 kg.
O modelo foi mal avaliado também no critério de dimensão, seguido pelo Nespresso C80 Expert, com 4,42kg, um resultado aceitável. O consumidor deve se atentar as dimensões do produto, altura, com o reservatório de cápsulas aberto, para evitar surpresas em casa.
A máquina da Oster é a única a preparar dois cafés ao mesmo tempo e aceita pó e sachê, além das cápsulas. Como a Oster não possui marca própria de café o modelo aceita as cápsulas da Nespresso, mas para isso o consumidor precisa estar disposto a pagar mais caro.
A melhor do teste foi a Nespresso C60, que pode ser encontrada a partir de R$ 523, oferece café quente em pouco tempo e custa R$ 277 a menos que o equipamento mais caro do teste.

Para quem deseja economizar ainda mais é possível optar pelo modelo da Três Corações, considerado a Escolha Certa. Encontrado a partir de R$ 199, o consumidor economiza R$ 601 em relação a máquina de café expresso da Oster, de R$ 800. Com o valor é possível comprar quatro modelos da Três Corações, e ainda sobra troco.
Todos os modelos se mostraram seguros no quesito usabilidade. Nenhuma oferece riscos de choque ou de queimadura. Em caso de dúvidas, a PROTESTE aconselha que o consumidor consulte o manual de instruções, já que todos foram considerados como bons ou muito bons.
O consumidor pode comparar modelos em proteste.org.br/cafeteiras

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here