Início Artigos Thales Brandão As boas ações para formação de uma liderança sustentável

As boas ações para formação de uma liderança sustentável

25
0

O individualismo elevado, amparado à falta de ética, tem levado as pessoas a buscarem defender seus interesses particulares acima dos propósitos sociais. As questões éticas na sociedade atual encontra-se deteriorada devido ao egoísmo humano formado por uma sociedade deseducada.
A formação de uma liderança sustentável depende dos aspectos éticos para guiar as mudanças em nossa sociedade, que servirão de alicerce para construir uma um espaço coletivo, colaborativo, justo e digno para todos os interessados. Diante do exposto, encontramos diversos desafios, entre os quais destacamos os aspectos humano, ético e educacional trazendo mudanças de paradigmas que nos levam a repensar as ações em nosso cotidiano, cabendo ao professor e escola valorizar o indivíduo por meio de um amplo acesso ao conhecimento desenvolvendo uma cultura pela paz; ao futuro profissional avaliar, refletir e revisar suas ações, constantemente, visando recuperar os valores humanos voltado para utilização do conhecimento de forma adequada.

Educação pela Paz
A ideia de democratização de conhecimentos, está orientada à emancipação das pessoas e ao desenvolvimento sustentável dos diferentes povos e culturas em todo o mundo. A democratização do ensino no Brasil não é suficiente se a família, educador e escola não estiverem preparados para formar pessoas respeitosas e preocupadas com o bem da sociedade. Para que isso ocorra é preciso repensar as políticas educacionais.
Todo ser humano nasce um aprendiz. A aprendizagem é própria do ser humano. “Se ninguém lhe ensina nada, aprende com as próprias experiências”, dizia Içami Tiba, reforçando o fato de que todos nós aprendemos com o ambiente social em que estamos envolvidos através da interação com as atitudes das pessoas e com os valores reinantes. Por outro lado, a escola e família precisa direcionar o aprendizado da nova geração para que não seja desperdiçada com a construção de ações corruptas e violentas. A criatividade e a conectividade dos jovens no cenário digital e acelerado é uma composição essencial para a solução de problemas sociais que podem ser aproveitados no berço escolar. A era do compartilhamento através do modelo de “muitos para muitos” possibilita a entrega de uma educação distribuída através de grupos colaborativos.
Nesse contexto, a Plataforma Liderança Sustentável, passou a ser uma ferramenta de inteligência em rede, indispensável para os jovens universitários que buscam compreender a importância da liderança sustentável através de uma cultura empreendedora que envolve um diálogo sobre autonomia, risco e inovação. Acredito que os exemplos reais de grandes líderes sustentáveis servem de fonte de inspiração para que a nova geração faça mais e melhor. A nova economia mundial precisa ser baseada na formação de lideranças responsáveis através de mecanismos coletivo e colaborativo que se transformem em produção do bem social – educando pessoas que busquem integridade, sensibilidade e capazes de atuar por um mundo melhor.
A educação contemporânea precisa ajudar no desenvolvimento humano na busca de resolver problemas sociais diversos devido ao próprio destino comum de todos nós em uma condição de indivíduo e sociedade. O ensino de uma compreensão coletiva é a base para o progresso de uma cultura de paz formando pessoas que constroem conhecimento e que apreendem conhecimento entendendo o errado para construir o certo.

Liderança Sustentável
Sou professor universitário há 10 anos e tenho como premissa a formação de líderes sustentáveis orientados a práticas de boas ações. O principal incentivo é fazer com que os acadêmicos façam parte de ambiente educacional participativo colocando-os no centro do processo do ensino aprendizado, debatendo os problemas globais e locais. Envolver o sujeito com problemas de sua realidade é estimular o poder de observação através da busca de soluções e fazê-lo protagonista da escola e sociedade.
Entendendo a educação como um resultado de longo prazo e coletivo. Não adianta apenas boa vontade do educador para ensinar se não existir estratégias de ação para estimular jovens desinteressados, com pouca motivação para aprender, e que buscam resultados imediatos, em muitos casos apenas um diploma. É preciso descontruir o ensino tradicional em que os alunos saem preparados apenas para concursos (marcadores de X), mas não preparados para a vida. Jovens que tocam à vida a sua maneira sem uma orientação e estimulo geralmente são influenciado pelo ambiente hostil social, sem futuro.
Para formar líderes sustentáveis é preciso embaralhar as cadeiras enfileiradas da escola tradicional, colocando os jovens com uma visão ampla do todo, mostrando que a mudança depende da autonomia de cada indivíduo entendendo que somos uma unidade comum cercados de problemas que precisam ser resolvidos com ações do bem na geração de impacto social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here