Esqueci minha senha
Não sou cadastrado
Seja um Membro
 
 
 
publicidade
 
 
 
 
Leonardo Lanzetta
Leonardo Lanzetta
Bacharel em marketing pelo Centro Universitário da Cidade, Leonardo Lanzetta é Sócio e Diretor Executivo da DIA Comunicação (São Paulo, Rio e Fortaleza) e atual Vice-Presidente de Agências do POPAI Brasil. Possui vários trabalhos premiados entre os quais realizou para Coca-Cola Brasil, Lóreal, Oi, O Globo, Petrobras, entre outros. Twitter: @lanzatt

 
23/07/2010 - 12h23

Conveniência: a aposta do pequeno varejo para 2014

O pequeno varejo é um segmento bastante amplo e pulverizado.
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA

Ainda faltam quatro anos, mas a Copa do Mundo de 2014 já começa a movimentar o segmento varejista. As grandes redes de varejo já planejam como operar e o que oferecer neste período de grande importância para o País, que tem garantido uma enorme injeção de investimentos na economia. No entanto, uma das grandes oportunidades desse mega evento provavelmente estará para o pequeno varejo, capaz de reunir boa localização e conveniência ao turista.

 

O pequeno varejo é um segmento bastante amplo e pulverizado. Desde mercearias, mini mercados, lojas de conveniência até padarias, o foco é estar sempre próximo do consumidor final, que pode ser perto de hotéis, pousadas e albergues.

 

Por essa localização privilegiada, a grande aposta do pequeno varejo deverá ser no oferecimento de conveniência e conforto ao turista. Os estrangeiros que acompanharão os jogos virão focados no campeonato, sem conhecer a língua local e propensos a pagar um pouco mais por comodidade. Portanto, o estabelecimento que oferecer praticidade, agilidade e as melhores opções, sairá na frente em sua preferência.

 

É possível a loja pensar em ações que possam facilitar o dia a dia do turista no Brasil, como cafés da manhã, cafés da tarde e outras opções prontas para que esse consumidor possa se preocupar apenas com os jogos. Porém, para aproveitar a enorme oportunidade que se abre ao pequeno varejo, já é hora de começar a preparar o período de vendas de 2014, com foco em tematização, comunicação e sortimento, a receita do pequeno varejo para chegar à conveniência.

 

A experiência da Copa deste ano poderá ser utilizada na ambientação das lojas no próximo campeonato. A aposta nas cores verde e amarelo é muito bem-vinda, assim como a valorização da realização da Copa no Brasil, mesclando elementos da própria cultura brasileira. Um estabelecimento decorado na medida certa convida o consumidor e se relaciona melhor com ele, na mesma sintonia. Para um consumidor que vem de fora, identificar uma loja decorada com motivos de Copa, a mesma razão de sua vinda, será um chamariz bastante atraente e um convite às compras.

 

Outro ponto bastante importante para o pequeno varejo é a comunicação. Será necessário dispor as informações mais relevantes da loja também em inglês, língua oficial em eventos mundiais. O objetivo deve ser o de tornar mais fácil a comunicação para interagir com o novo público. Nesse sentido, não só informações sobre áreas da loja devem estar em inglês, mas também as promoções e opções extras oferecidas pelo estabelecimento, em posição confortável para leitura, na área dos olhos.

 

Os colaboradores da loja também já precisam iniciar treinamento intensivo para receber e atender os novos consumidores em inglês. Aliás, eles serão referência para este novo público, que poderá solicitar informações não só sobre os produtos da loja, mas também sobre a cidade e pontos turísticos. Portanto, os funcionários deverão corresponder a essa expectativa com uma boa comunicação, fator fundamental que pode significar a preferência desse público menos sensível a preço e com alto poder aquisitivo.

 

Com relação ao sortimento, o ponto alto dessa preparação de vendas para a Copa, o pequeno varejo precisará aumentar o mix de produtos na loja. Para isso, vale checar juntos aos hotéis e albergues do entorno qual a nacionalidade do público que irão receber. Assim, fica mais fácil pensar em comidas tradicionais do país, assim como alguns pratos tradicionais da culinária brasileira, para acertar no oferecimento de produtos.

 

Também cabe ao pequeno varejista incluir outros itens que não são o foco de seu negócio, mas que podem render boas vendas no período, como elementos relacionados à torcida. Vale expor camisas de times diferentes, bandeiras, cornetas e bandanas. O resultado será um relacionamento amplo e diversificado com o turista, que verá a loja como um canal de compras completo.

 

As parcerias serão igualmente importantes. Com hotéis, pousadas e albergues, é possível fazer parcerias para indicação do estabelecimento aos estrangeiros, oferecimento de pacotes especiais aos hóspedes na loja e divulgação das opções extras oferecidas, como no caso de restaurantes, transmissão ao vivo dos jogos.

 

Já com a indústria, a oportunidade é de aproximação e relacionamento. Unindo os interesses dos dois players, já que a indústria visa apostar numa comunicação mais intensa no ponto de venda e o pequeno varejo será o foco de compras dos estrangeiros, há espaço para negociação de materiais de ponto de venda e comunicação.

 

A Copa da África do Sul deixou grandes ensinamentos ao Brasil. Precisamos ter em mente que um país menos desenvolvido que o nosso conseguiu oferecer uma estrutura completa a grupos de pessoas de todas as partes do mundo, fazendo um grande evento. No Brasil, a chave para o sucesso do pequeno varejo será ser conveniente para fidelizar um público especial, durante um mês. Porém, os resultados em vendas poderão contribuir signficaticamente para colocar o ano todo no azul.



Comentários
 

PDV   marketing   varejo  

 
Não consegue ler? Gere um novo aqui

 
 
 
Mais artigos
EMPREENDEDORISMO - 05/10 | 21h56
Veja mais artigos
 
publicidade

 
publicidade
 
 
 
 
 
 
 


www.joww.net | Johnatan Oliveira